NFTs e como funcionam os tokens


 

NFTs: o que são e como funcionam os tokens não fungíveis



Mais do que “obras de arte digitais”, os NFTs são oportunidades dentro do universo das criptomoedas; veja como adquirir esse tipo de criptoativo de forma segura e rápida (Imagem: Freepik/starline)

O universo da Blockchain tem surpreendido a cada dia, com opções de ativos digitais que prometem revolucionar o mercado. Assim como as criptomoedas ganharam espaço em estratégias de diversificação de ativos, agora um novo tipo de token tem chamado a atenção: os NFTs. Mas, afinal, o que são esses ativos e qual sua relação com Bitcoin e Ethereum?

Os Non-Fungible Tokens (tokens não fungíveis) se tornaram uma tendência. Prova disso é que, de 2020 a 2021, houve um aumento de 55% nas vendas pelas plataformas especializadas. Celebridades, artistas e até jogadores de futebol entraram no hype desses ativos, que hoje valem milhões e são tratados como “obras de artes digitais”.

Uma boa notícia: se você já possui criptomoedas, pode perfeitamente adentrar ao universo de tokens não fungíveis para diversificar seu portfólio – mas antes, é preciso compreendê-los. A seguir, vamos te contar tudo que você precisa saber para comprar NFTs.

O que são NFTs?

NFT é a sigla para non fungible token, ou em português, “token não fungível”, em outras palavras, que não pode ser copiado ou replicado. De maneira geral, eles funcionam como um certificado de autenticidade digital, cuja veracidade é registrada na blockchain, o grande “livro-razão” do mundo cripto.

No universo cripto, o token é uma representação digital de um bem, podendo ser uma moeda digital, uma imagem ou qualquer outro item. No caso dos NFTs, os tokens funcionam como ativos únicos e insubstituíveis. Logo, ao comprar um NFT, você detém a propriedade deste bem.

Os tokens não fungíveis são itens insubstituíveis, porque há apenas uma versão original disponibilizada de cada token – da mesma forma que um quadro físico de Picasso é um item insubstituível, independentemente da quantidade de cópias geradas. É por isso que os ativos digitais associados aos NFTs valem tanto.

Um NFT é validado por meio de um certificado digital de propriedade, garantindo exclusividade ao dono do ativo. Esses códigos únicos não podem ser copiados, já que são armazenados em redes descentralizadas via smart contracts. A Rede Ethereum é a mais utilizada para a criação e transação dos tokens não fungíveis. 

NFTs x criptomoedas

Mas o que os NFTs trazem de novo em relação às criptomoedas tradicionais? A principal diferença entre eles se dá pela funcionalidade. As criptomoedas como o Bitcoin podem ser substituídas por outros ativos da mesma espécie, enquanto um NFT é único. 

Enquanto a cripto funciona, por exemplo, como uma nota de R$ 100 que pode ser trocada por outra de mesmo valor, os NFTs são como obras de arte exclusivas.

A Ripio, uma das principais exchanges de criptomoedas do mercado latino-americano, disponibiliza em seu site um guia completo sobre os NFTs, explicando seu funcionamento básico e sua relação com o esporte, os games, a música e a arte. 

Das artes aos esportes: por que as celebridades estão de olho nessa tecnologia?

Você provavelmente já se deparou com diversas celebridades entrando no hype dos NFTs. Artistas como Snoop Dogg, Justin Bieber e Jay Z, além de esportistas como Serena Williams, Shaquille O’Neal e Neymar são alguns dos principais compradores de tokens não fungíveis.

Mas, por que esse tipo de ativo virou tendência entre os famosos? Uma palavra que resume essa tendência é: pertencimento. Coleções populares de NFTs como a Azuki, a Crypto Punks ou a Bored Apes Yacht Club (BAYC) – os famosos macaquinhos coloridos que inundaram a web – representam um sinal de status. 

Comprar um ativo desses criadores é como participar de um clube ultra exclusivo. O jogador brasileiro Neymar Jr. foi um dos que recentemente alocaram milhões em um NFT exclusivo do BAYC. A operação custou 349,68 ETH (ethereum), equivalente a US$ 1,1 milhão. 

Além de deter a propriedade do token, as celebridades ganham outros benefícios exclusivos – desde acesso a restaurantes e eventos até murais físicos em grandes cidades.

NFT pode ser uma opção para sua carteira de criptomoedas?

Voltando para a realidade do usuário convencional, a pergunta que fica é: vale a pena comprar NFTs? Assim como outros criptoativos, os tokens não fungíveis são produtos de alta volatilidade. Antes de negociar, entretanto, é preciso ter conhecimento sobre esse universo, além de possuir criptomoedas na carteira – afinal, é com elas que você negocia a maioria dos NFTs. 

Dependendo da coleção escolhida, a compra de um NFT pode apresentar uma valorização superior quando comparada às principais criptomoedas. Peguemos a coleção dos “Bored Apes”: conforme ela foi se popularizando, a demanda foi aumentando e os macacos da coleção passaram a valer cada vez mais, chegando ao ponto em que celebridades pagaram milhões de reais para tê-los.

Como comprar NFTs usando corretoras de criptomoedas?

O primeiro passo para negociar NFT é adquirir criptos que sirvam como moeda de troca durante as negociações. Atualmente, o Ethereum (ETH) é a cripto mais utilizada pelas plataformas de marketplaces de NFTs, mas o Bitcoin também pode ser uma opção para quem deseja dar seus primeiros passos no mundo cripto.

Em geral, os NFTs são negociados em plataformas específicas, como OpenSea e Rarible. Embora seja possível comprar alguns tokens com moeda fiduciária (dólar, por exemplo), ter uma carteira de criptomoedas facilita e muito esse tipo de transação.

Ripio é uma plataforma que permite a compra e a venda das melhores criptomoedas do mercado por meio de uma plataforma prática e segura. Você pode transferir o seu dinheiro para o sistema por meio de transferência bancária, do Mercado Pago ou PIX e começar a negociar suas criptomoedas em poucos cliques. 

0 Comentários

Postar um comentário

Post um Comentário (0)

Postagem Anterior Próxima Postagem