Câmara dos Deputados arquiva segunda denúncia contra Temer

Câmara dos Deputados arquiva segunda denúncia contra Temer – A votação de 25/10/2017, no plenário da Câmara dos Deputados, não surpreendeu, e mostrou que os ataques de setores da classe burguesa, como, por exemplo, os ataques das Organizações Globo contra Michel Temer, não tiveram sucesso.

Mesmo a Globo veiculando ao vivo a votação no objetivo de pressionar os parlamentares a votarem contra Michel Temer, o resultado foi favorável ao Temer.


Câmara dos Deputados arquiva segunda denúncia contra Temer

A segunda denúncia da Procuradoria-Geral da República contra Temer foi arquivada por 251 votos a 233 votos que votaram a favor das denúncias contra Temer.

Nesta segunda denúncia, o então procurador-geral da República, Rodrigo Janot, havia denunciado Michel Temer por
organização criminosa e obstrução de justiça.

Sem entrar no mérito das denúncias contra Michel Temer, entendo ser oportuno e importante ressaltar que o entendimento e os posicionamentos dos deputados e deputadas foram e continuam sendo diferentes quando há denúncias contra quem era e/ou contra quem é do Partido dos Trabalhadores e contra quem pertence a partidos diversos.

A régua moral é completamente diferente.

Na segunda votação o total de votos favoráveis à Michel Temer foi menor do que a totalidade de votos que ele obteve na votação quanto a primeira votação, em 02/08/2017.

Nesta, o placar ficou em 263 contra a admissibilidade da denúncia, e 227 a favor da abertura da investigação no STF.

Na votação de ontem, o placar foi de 251 a favor de Temer contra 233 contra o arquivamento.

Com esses resultados, no qual a Câmara dos Deputados arquivou as denúncias contra Michel Temer, este golpista em cargo de presidente da República apenas poderá ser investigado pelo Supremo Tribunal Federal após deixar o cargo.

Câmara dos Deputados arquiva segunda denúncia contra Temer
Câmara dos Deputados arquiva segunda denúncia contra Temer

Câmara dos Deputados arquiva segunda denúncia contra Temer

Entendo ser oportuno salientar que o fato de ter baixado o número de votos para arquivar a denúncia contra Temer, entre a primeira e a segunda denúncia, não significa que os senhores deputados e que as senhoras deputadas sejam ou estejam contra Temer e muito menos que tais parlamentares sejam contra a aprovação, por exemplo, da reforma da Previdência.

Assim como o G1 (1) constatou,de que “muitos dos deputados que votaram contra Temer são favoráveis a reformas que o governo propõe, como a da Previdência”.

Tal constatação acima pode trazer o receio de que a imagem deles em votar favoravelmente ao golpista em cargo de presidente poderia prejudicá-los eleitoralmente.

E dessa forma, também em relação à reforma da Previdência. Podem ser a favor de Temer e da reforma da Previdência, no entanto, o receio de serem prejudicados eleitoralmente, podem fazer com que suas decisões parlamentares em defesa de Temer e das reformas, sofram recuo.

A questão eleitoral é que fez com que em pouco tempo, o senador Renan Calheiros (PMDB-AL) fosse de aliado dos governos Lula e Dilma, para aliado de Michel Temer para crítico de sua gestão e de sua política.

No entanto, em 31/08/2016 Renan Calheiros votou favoravelmente a destituição de Dilma Rousseff, presidenta eleita, e se aproximou de Michel Temer (PMDB-SP).

Agora, voltou a se distanciar de Temer quando percebeu que há sinalizações de pesquisas apontando dificuldades para ele, Calheiros, em seu estado.

Por isso, movimentou-se novamente em direção ao Lula, que ainda tem grande popularidade em Alagoas, assim como no Nordeste como um todo.

Outro fato, é que o número de votos favoráveis aos arquivamentos das denúncias contra Michel Temer, até quando este estiver no cargo de presidente da República, cargo no qual ele está por conta de um golpe de Estado, via conspiração parlamentar, é inferior ao número de votos que uma mudança constitucional precisa, que é de ao menos 308 votos, em dois turnos.

É quanto Temer precisa de sua base aliada para aprovar, por exemplo, a reforma da Previdência.

Câmara dos Deputados arquiva segunda denúncia contra Temer

Tais reformas são consideradas fundamentais pelo mercado, do qual o governo golpista de Michel Temer é porta voz, e sendo fundamental a aprovação desta reforma para os donos do capital, entendo que agora que a segunda denúncia contra Temer foi arquivada, o mercado começará a pressionar seus porta vozes no Congresso Nacional para ver aprovada o quanto antes a reforma da Previdência, que deixará de ser social.

A pressão do mercado, ou de setores do mercado, atingirá inclusive parlamentares do PSDB, que apesar de serem ideologicamente favoráveis aos interesses do mercado, por conta da divisão na votação da segunda denúncia contra Temer, que tal distanciamento político entre alguns deputados tucanos e o golpista em cargo de presidente da República, não prejudique o andamento e muito menos a aprovação da reforma da Previdência.

Entre o receio de alguns parlamentares de não serem reeleitos e a força para aquentar a pressão do mercado para uma aprovação urgente da reforma da Previdência, veremos qual será o posicionamento dos parlamentares.

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d blogueiros gostam disto: