Moro acima da Lei no episódio Grampos Ilegais

Moro acima da Lei no episódio Grampos Ilegais – Ao defender grampo ilegal, Moro reforça ideia de que se acha acima da lei e que defende a impunidade no Brasil. Artigo do deputado federal, Paulo Pimenta, líder do PT na bancada da Câmara.

A entrevista do juiz Sérgio Moro ao programa Roda Viva, da TV Cultura, na noite da última segunda-feira (26), além de reforçar aquilo que o país já conhecia dele, que se trata de um juiz extremamente vaidoso, deixou uma dúvida: Moro se julga acima da lei ou ele tem “convicção” da impunidade no Brasil? Ou as duas coisas?

Sem qualquer constrangimento, Moro pregou o desrespeito à Constituição Federal ao defender, novamente, o grampo e a divulgação ilegal que cometeu contra a figura institucional do Presidente da República, como fez contra Dilma Rousseff.

E fez isso com a tranquilidade de um bandido que confessa um crime diante das autoridades e das câmeras de TV sem qualquer preocupação com o ordenamento jurídico do país e suas implicações.

Moro acima da Lei no episódio Grampos Ilegais
Moro acima da Lei no episódio Grampos Ilegais

Moro acima da Lei no episódio Grampos Ilegais

Na época, em março de 2016, Moro vazou para imprensa uma conversa da presidenta Dilma com Lula, horas após o anúncio oficial do nome do ex-presidente como chefe do gabinete da Casa Civil do governo federal, para criar uma convulsão institucional e social no país. 

Em sua defesa, Moro alega que o uso da mídia e de vazamentos para a imprensa era, em outras palavras, uma forma de evitar pressões na Lava Jato.

Mas pelas posições e ações do juiz do Paraná, é muito mais plausível acreditar que o conluio entre Moro, Globo e demais veículos da grande mídia era na verdade para blindá-lo de responder por suas ilegalidades perante a opinião pública e para, a seu bel-prazer, manipular a Justiça com objetivos políticos. 

Como bem disse Dilma Rousseff a respeito desse episódio, Moro deveria estar preso. “Em qualquer país do mundo, dito de democracia avançada, uma pessoa que gravasse o presidente da República sem autorização seria presa”.

Moro acima da Lei no episódio Grampos Ilegais

Enquanto isso, Moro viaja o Brasil indo a programas de televisão pregando o desrespeito à Constituição Federal, com a benção do Conselho Nacional de Justiça que se nega, desde 2016, a julgar uma representação de parlamentares do PT e PCdoB sobre interpretação telefônica ilegal da presidenta da República.

Como se não bastasse pregar a defesa do grampo ilegal, Moro, sem desfaçatez, defendeu ainda o auxílio-moradia como um “jeitinho”, um “penduricalho” para compensar a falta de reajuste salarial.

Ao defender jeitinhos para burlar a lei, Sérgio Moro, em sua busca por holofotes da mídia, fez um serviço ao país ao revelar sua verdadeira face: julga-se inalcançável pelas leis brasileiras e, a partir disso, crê na sua própria impunidade.

A democracia brasileira, o Sistema de Justiça e o ordenamento jurídico do nosso país há muito vêm sendo pisoteados e ridicularizados pelo juiz Sérgio Moro.

Isso não é nenhuma novidade; a novidade é que, ontem, isso foi feito na TV ao vivo para milhões de brasileiros.  Sem nenhuma cerimônia.

*Paulo Pimenta (PT-RS) é líder do partido na Câmara dos Deputados


GABINETE DEPUTADO FEDERAL PAULO PIMENTA (PT-RS)
Jornalista Responsável: Fabrício Carbonel – Mtb 14.264
Assessoria de Comunicação: 61.9.8168.1313
Email: [email protected] mail.com

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d blogueiros gostam disto: